• Marina Oliveira

Reduzir, reciclar e reutilizar: conheça projetos que incentivam a economia compartilhada

Atualizado: 18 de Nov de 2019

Reduzir, reciclar e reutilizar. Provavelmente você já ouviu falar dos 3 R’s da Sustentabilidade, que incentivam o consumo consciente e a reutilização de materiais.

Reduzir o consumo, Reciclar o que pode ser reciclado e Reutilizar o que pode ser reutilizado, mas você já parou para pensar em tudo que pode ser reutilizado? Às vezes o que não serve mais para nós, pode ser muito útil para outras pessoas, e é sobre isso que vamos falar.

Alguns materiais como o vidro, pode ser reutilizado de diversas formas, com uma pitada de criatividade e algumas tintas, ele pode se transformar em um porta lápis, um cachepô, uma luminária e por aí vai, basta usar a imaginação. O pneu furado pode se transformar em uma floreira para jardim e o jeans velho virar uma almofada. As opções são diversas, e basta dar um Google que aparecerão milhões de ideias para transformar esses materiais.


Além de ideias criativas para transformar materiais em novas peças, surge a palavra "Compartilhar". Compartilhar coisas, para reduzir o consumo e o impacto no meio ambiente. Você já deve ter ouvido falar a frase: não preciso de uma furadeira, preciso de um furo na parede.

Nesta ideia de compartilhamento surge o Uber, compartilhando caronas, o Airbnb, revolucionando a ideia de hospedagem e permitindo que as pessoas compartilhem suas casas. Outro exemplo interessante é o app Tem Açúcar? Nele você encontra vizinhos próximos que estão cadastrados, e pode pedir coisas emprestadas ou emprestar algo, como uma furadeira. Afinal, porque comprar se você pode compartilhar?



Conheça o Armário Coletivo


O Armário Coletivo é um movimento que através do compartilhamento reduz o impacto ambiental causado pela produção e o descarte. A ideia é utilizar espaços públicos para transformar os hábitos de consumo das pessoas. Como? através de armários coletivos que são construídos a partir de materiais coletados nas ruas e produzido em parceria com a comunidade. Neles, as pessoas podem deixar à disposição coisas que não usam mais, como roupas, calçados, brinquedos, livros e etc. Oferecidos a quem quer, ou precisa, e assim, fomentando a cultura do compartilhamento, numa mistura de arte, educação e revolução cultural.

“reeducar as pessoas a mudarem de comportamento através das novas economias. Sabemos que uma evolução cultural é algo bem complexo, mas se do jeito que estamos agindo não está dando certo. Temos que ousar ter coragem e fomentar meios como o compartilhamento, a colaboração e a redefinição do sentido de comunidade. Deixar objetos, roupas disponíveis para pessoas que você não conhece, num espaço de rua, revoluciona você e seu entorno. Porque colaboração não fala sobre carência, fala sobre potência, para que alguém ganhe ninguém precisa perder. A revolução compartilhada e colaborativa está mudando de forma estrutural, irreversível e inevitável à forma como as pessoas produzem, aprendem, consomem e descartam”.

Os armários estão espalhados em diversos pontos de Floripa e Curitiba, mas vem conquistando fãs por onde a ideia passa.

Fotos: Página Oficial do Armário Coletivo

Em Chapecó, surgiu o Armazém Comunitário, uma ideia inspirada no Armário Coletivo, mas que além de roupas, também oferece pães fresquinhos toda manhã. Quem cuida e é responsável pela organização do Armazém é a Edineia Cassiano, e o objetivo do projeto é estimular novos hábitos de consumo entre as pessoas e reduzir o impacto do descarte, estimulando a economia colaborativa, compartilhada e circular.

O que pode ser doado: roupas, calçados, brinquedos, cadernos, livros, revistas e objetos de decoração.

Ele fica em frente à padaria Flor de Lis, na Rua Assis Brasil 731 D, bairro Santa Maria, e está à disposição para comunidade participar.

Agora que conhecemos dois projetos incríveis e que transformam nossa comunidade em um lugar mais solidário, que tal entendermos um pouco a realidade da reciclagem em nosso país, os dados são alarmantes!

Contate-nos

| 49 | 3319.0529

© 2019 Moeda Verde.